Capelinha de Nossa Senhora da Paz

     Depois da licença de construção assinada pelo Bispo Auxiliar de Braga D. António Ribeiro, eis que se iniciam a 11 de março de 1968 as obras da atual Capela de Nossa Senhora da Paz.

     A capela foi decorada com pedras de cristal quartzo, material muito abundante e característico na freguesia de Vila Chã S. João Baptista, nomeadamente numa pedreira hoje desativada. Este monumento, foi assim decorada com este tipo de pedras “para ser para os vindouros uma espécie de museu de quartzo cristalizado desta freguesia”, escreveu o Sr. Cón. Avelino de Jesus da Costa, principal promotor deste Santuário.

     A pequena capela com corpo de uma só nave e com alpendre no exterior, possuiu as meras medidas de 10,52m X 4,68m.

     A estrutura e o seu alpendre são em granito lavrado. No interior, ao centro deste retábulo, está exposta a Imagem de Nossa Senhora da Paz, imagem que irradia luz e esplendor, representados por mosaicos e raios de bronze dourados que a circundam. Em semicírculo, em letras de bronze, fica a legenda: “Todas as gerações me chamarão bem-aventurada” e, por baixo da peanha, o monograma mariano “AM”. Por sua vez, ao cimo do retábulo preside um crucifixo de bronze, tendo aos lados 2 anjos de mosaico, um dos quais em atitude de pedir a paz e o outro a oferecer ao mundo a paz de Cristo.   

     Por cima do arco cruzeiro, ainda no interior da capela, está presente a legenda “A paz esteja convosco”.

     Para inculcar a devoção ao Santo Rosário e à reza do terço, aqui pedido por Nossa Senhora nas aparições de 10 e 11 de maio de 1917, são expostos dois terços de metal dourado a ornamentar as paredes da capela-mor; os 5 mistérios gozosos do terço foram reproduzidos em 5 vitrais nas janelas da capela, e os mistérios dolorosos e gloriosos foram reproduzidos em 10 painéis de azulejos, expressamente feitos para esta capela.

     Os tetos, são pintados de azul celeste e ornamentados com estrelas de metal dourado, lembrando-nos de que a Virgem Maria é a Estrela que guia para o Céu.

     A cerimónia de bênção e inauguração viria a ser celebrada a 15 de setembro de 1969, cerimónia essa que foi presidida pelo então Pro-vigário Geral da Arquidiocese de Braga, o Sr. Cón. Dr. Carlos Pinheiro, em delegação do Sr. Arcebispo de Braga D. Francisco Maria da Silva. Concelebraram com ele inúmeros sacerdotes, uns devotos de Nossa Senhora da Paz, outros amigos pessoais do Sr. Cón. Avelino de Jesus da Costa.

     De salientar que, apesar desse dia, 15 de setembro, ser um dia de semana (uma segunda-feira), e portanto ser um dia de trabalho, as cerimónias atingiram na mesma “um brilhantismo que ultrapassou tudo o que era de esperar, pois climaticamente o dia estava muito chuvoso, e em alguns meios houve obstrucionismo, quer em relação à construção da capela, quer em ralação à sua inauguração”, diz-nos o Cón. Avelino num artigo da Mensagem de Paz.

     O dia festivo mereceu até uma reportagem da RTP pois, para além de tão especial data, ficou também marcado pela estreia do Hino a Nossa Senhora da Paz, que ainda hoje se canta como Hino de Nossa Senhora da Paz e Hino Oficial deste Santuário. Para tal, foi preparado, com pompa e circunstância, um programa solene e especial.